Escolhas e Adversidades

Geralmente a vida lhe dá exatamente o que você investe nela e quando ela dá algo que você não aceita, surge a negação e o sofrimento. A nossa existência não é tão cruel quanto muitos imaginam. Na maior parte do tempo estamos escolhendo a maneira de viver.

 

Você pode até questionar esta afirmação, mas basta olhar para o seu dia e perceber quantas atividades faz e que tem a liberdade de escolha. Por exemplo: ao acordar você escolhe se sairá bem ou mal humorado da cama. Escolhe se toma ou não seu banho, usa este ou aquele perfume e ainda a roupa que vai vestir. Decide se toma ou não café da manhã. Se o trânsito está ruim foi você quem escolheu não sair mais cedo de casa e se você se irrita com a demora a escolha é sua em ficar nervoso.

 

Se você tem um trabalho, foi você quem o escolheu. Ninguém o obrigou a fazer esta ou aquela atividade e se isto aconteceu você ainda tem a escolha de mudar o que está fazendo. É você quem escolhe estar por inteiro no trabalho e fazer com prazer a sua atividade diária.

 

Você escolhe a pessoa que vive ao seu lado, decide se casa, namora ou simplesmente vive junto. Ter filhos ou não, são escolhas pessoais e que ninguém pode fazer por você.

 

Quando alguém lhe provoca, você tem a liberdade de agir com raiva ou simplesmente ignorar. Pode parecer difícil, mas você tem a escolha de calar ou atacar e nem sempre calar é a alternativa mais fácil.

 

É você quem escolhe os programas que assiste na televisão, aquilo que lê e até mesmo as pessoas que andam com você. Sim, as suas amizades são escolhas suas, embora as pessoas apareçam em nossas vidas, na maioria das vezes, faz parte das nossas escolhas decidirmos se permanecemos ou não na vida delas.

 

Porém, além das nossas escolhas existem as adversidades, ou a sorte adversa, contrária aquilo que não esperamos acontecer. As adversidades fazem parte da fatia que gostaríamos que não existisse na vida, porém elas são reais e imprevisíveis, fogem do nosso controle, não fazem parte das nossas preferências e por mais que se tente fugir, elas estão aí, fazem parte do cardápio da vida. Nada adianta sofrer por antecipação porque uma adversidade não manda recados, ela simplesmente acontece.

 

Pode ser a perda de alguém que amamos o anúncio de uma doença na família, um problema de saúde, uma crise no relacionamento, a traição do melhor amigo, um acidente, a falência inesperada, estes acontecimentos não mandam recados, pegam de surpresa, desestruturam, desequilibram, tiram-nos do chão e fazem perceber o quanto somos frágeis e que não temos o controle da vida tanto quanto imaginamos ou gostaríamos.

 

E por falar em controle, as adversidades são mais temidas e rejeitadas por quem acredita que tem o pleno controle de tudo o tempo todo. Estes são os que mais sofrem, porque nestes momentos percebem que nem mesmo todo o dinheiro do mundo ou mesmo o poder que se julga ter são capazes de resolver algumas situações típicas da adversidade.

 

Considero que 90% dos fatos são escolhas, das mais simples às mais complexas e que 10% são adversidades. Aprendo que mesmo nos 10% das tragédias que podem ocorrer, podemos escolher como reagir, ou melhor, é possível escolher se numa situação difícil nos entregamos ao caos e à tristeza ou damos volta, aprendemos com a situação e seguimos em frente com o que nos restou.

 

Já ouvi dizer que escolhemos a vida que temos. Que eu, você, todos nós somos quem somos por escolha consciente. Seja verdadeira ou não esta tese, não existe outra escolha senão aceitar quem somos e a vida que se tem. A não aceitação desta escolha seria um sofrimento eterno.

 

Na Índia ensinam-se as Quatro Leis da Espiritualidade.

A Primeira diz que a pessoa que chega a nossa vida é a pessoa certa.

A Segunda diz que o que aconteceu é a única coisa que poderia ter acontecido.
A Terceira afirma que o momento em que algo se inicia é o momento certo.

E a Quarta é que quando algo termina, termina!

Simples assim, estas Leis se aplicadas na prática nos aliviam e nos confortam em momentos difíceis, naqueles 10% da vida.

 

Independente do momento que você esteja vivendo agora, este é o momento certo.

 

Abraços,

 

Geninho Goes

Recent Posts
Comments

Leave a Comment